Exposição ‘Turma do Chaves’ integra adolescentes da Funac

05 de Abril de 2018 19h06

Os adolescentes produziram as telas por várias semanas com a finalidade de mostrar suas atividades aos imperatrizenses Criar oportunidades que proporcionem espaços de ressocialização é uma das atividades da Fundação da Criança e do Adolescentes (Funac) localizada em Imperatriz. Por isso, durante todo o mês de abril, uma exposição ficará aberta ao público com a temática ‘Turma do Chaves’. O objetivo é divulgar um dos trabalhos de ressocialização realizado pela instituição aos adolescentes menores infratores da cidade. A exposição, que traz como principal referência o seriado infantil Chaves, irá exibir pinturas em telas produzidas pelos adolescentes da unidade SEMEAR. “Duas vezes por semana eles tem aula com um professor, que passa todas as coordenadas e acompanha passo a passo cada arte. Acreditamos que através dessas atividades também há a ressocialização”, explica o coordenador técnico da unidade SEMEAR, Ricardo Alencar. As pinturas ficarão expostas no Imperial Shopping nos horários de 10h às 22h, no primeiro piso do empreendimento, até o dia 30 de abril. Segundo Ricardo Alencar, a exposição irá mostrar as artes feitas pelos próprios adolescentes realizadas com a ajuda de um instrutor. “O instrutor sempre acompanhou o desenvolvimento dos adolescentes nas aulas e buscou sempre incentivá-los para que, se possível, eles despertem o interesse pela arte e também nos demais cursos que propomos aqui na instituição”, disse Ricardo. Alencar explica ainda que em Imperatriz existem três unidades: a de internação em que ficam de seis a três anos; a provisória que é de até 45 dias, em que os adolescentes ficam até sair a decisão do juiz; e a semiaberta – durante a semana ficam na unidade e aos fins de semana vão visitar a família. Para a exposição, os adolescentes produziram as telas por várias semanas com a finalidade de mostrar suas atividades aos imperatrizenses. “Nesta quinta-feira (5) quatro adolescentes que estão no processo semiaberto foram visitar a exposição, além de terem participado das pinturas dos quadros”, ressalta Ricardo Alencar. As atividades de pintar quadros, além de outras produções artísticas fazem parte da rotina de ressocialização da unidade. “Nosso objetivo é poder mostrar pra sociedade que nós podemos envolver o adolescente em qualquer curso que a gente propõe a ele. A socioeducação é a gente resgatar o adolescente de um ato infracional, de uma vida de crimes. Assim restabelecemos eles e lhe proporcionamos voltar a sociedade com uma vida sarada”, finaliza Alencar.

Mais notícias

banner